Vencimento básico: Sindifisco Nacional e entidades do Fonacate definem estratégias para novas negociações com o MGI

O diretor de Assuntos Parlamentares do Sindifisco Nacional, Auditor-Fiscal Floriano de Sá Neto, participou, nesta segunda-feira (19), da primeira reunião do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate) realizada após a entrega, ao governo federal, da contraproposta sobre a campanha salarial de 2024.  (veja matéria aqui). 

Na pauta da reunião, realizada de forma híbrida, a discussão de estratégias para a nova fase de tratativas na Mesa Nacional de Negociação Permanente, instalada pelo Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI). A próxima reunião com o governo está marcada para 28 de fevereiro, às 14h30, e o Sindifisco participará no âmbito do Fonacate e do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), do qual também é integrante. Neste mesmo dia, será realizado um ato público, em frente ao local da reunião, no prédio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), pela valorização dos servidores públicos federais. 

Na contraproposta de recomposição remuneratória, entregue em janeiro ao MGI, os servidores pedem o reajuste de 34,32% em três parcelas iguais de 10,34%, a serem pagas em 2024, 2025 e 2026, para os servidores federais que em 2015 firmaram acordos de reajuste por dois anos (2016 e 2017).  

Para aqueles que em 2015 fecharam acordos salariais por quatro anos (2016 a 2019), o pedido é correção de 22,71% dividida em três parcelas iguais de 7,06%, também para serem pagos em 2024, 2025 e 2026.   

A equiparação dos benefícios (alimentação, creche e saúde) com os demais poderes e a retirada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, com compromisso de negociação prévia de todos os itens referentes à Reforma Administrativa, também constam no documento entregue ao MGI. 

Conteúdos Relacionados