Receita divulga novos recordes de arrecadação

 

Mais uma vez a divulgação dos resultados da arrecadação de tributos e contribuições federais feita pela RFB (Receita Federal do Brasil) demonstra o empenho dos Auditores-Fiscais em manter os índices de arrecadação em patamares necessários ao crescimento da economia do país.
Apesar da extinção da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), em dezembro de 2007, foram batidos sucessivos recordes de arrecadação, inclusive em um cenário de crise financeira mundial. Mesmo com a paralisação de 54 dias, os Auditores-Fiscais conseguiram superar as metas, numa incontestável demonstração de compromisso com o país
Os dados disponibilizados pela Receita confirmam que, nos primeiros 11 meses do ano passado, a arrecadação federal totalizou R$ 633,4 bilhões, um aumento de 9,16% em relação ao volume registrado no mesmo período de 2007. Só no primeiro trimestre de 2008, foram arrecadados R$ 161,7 bilhões, 12,88% a mais do que no ano anterior, também registrando novo recorde.
Em novembro último, a retração de 1,85% na arrecadação de tributos e contribuições federais, foi a primeira desde janeiro de 2004, se comparada, em termos reais, ao mesmo período de 2007 e não impactou a arrecadação total de 2008, segundo dados da Receita. O resultado do mês refletiu a instabilidade da economia mundial.
Ainda segundo informações da Receita, o crescimento da arrecadação se deve ao crescimento econômico e ao firme combate à sonegação, intervenção direta dos Auditores-Fiscais. O aumento das vendas no comércio e de veículos e também o aumento da produção industrial são apontados como fatores que contribuíram para o bom resultado da arrecadação obtido em 2008.
Os excelentes resultados credenciam os Auditores-Fiscais a cobrarem a retomada das negociações dos dias parados durante a greve. Apesar do silêncio dos representantes do Governo, a Classe fez a sua parte e o esforço merece reconhecimento.

 

Conteúdos Relacionados