Receita realiza, em Curitiba, Operação Evolução

A Direp (Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal do Brasil) em Curitiba realizou nesta quinta-feira (9/6), em um shopping da capital paranaense, a Operação Evolução. Auditores-Fiscais e servidores da Receita Federal, além de policiais federais, participaram da ação. O resultado foi a apreensão de 196 caixas com produtos irregulares – como material de perfumaria, de informática, aparelhos eletrônicos, bolsas, relógios, brinquedos, cd’s, dvd’s, entre outros, num total de R$ 560 mil.

Foram fiscalizadas 13 lojas do Shopping Total. Em entrevista ao Departamento de Jornalismo do Unafisco, o chefe da Direp, Auditor-Fiscal Sérgio Lorente, explicou que a operação foi precedida de um trabalho de inteligência, feito pelos Auditores-Fiscais. “Fizemos um mapeamento das lojas que vendiam produtos importados, verificamos incompatibilidades cadastrais, analisamos o patrimônio dos donos das lojas e elaboramos um dossiê, o que nos permitiu ter uma atuação mais inteligente”, explicou.

Das 260 lojas do shopping, a Direp selecionou 21 para investigar. Após a investigação inicial, a decisão foi realizar a operação em 13 lojas. “O nosso trabalho prévio deu mais efetividade à operação. Só em uma loja, apreendemos R$ 100 mil em mercadorias”, contabilizou Sérgio Lorente.

Para fazer a operação, foram criadas 13 equipes, todas supervisionadas por Auditores-Fiscais, sendo que Lorente, que também coordenou as apreensões, supervisionou duas das equipes.

Objetivo – A Operação Evolução teve o objetivo de retirar das lojas mercadorias que não estavam com a documentação de importação correta. Algumas lojas fiscalizadas não tinham o documento com os dados da importação, em outras o problema foi a falta da descrição e da quantidade dos produtos nas notas fiscais. Também foram detectadas irregularidades no cadastro dos fornecedores junto à Receita Federal.

Caso os lojistas consigam comprovar a legalidade das importações, poderão reaver as mercadorias apreendidas. Se não conseguirem, sofrerão penalidades administrativas e penais.

 

 

Conteúdos Relacionados