Servidores participam do dia nacional de protestos promovido pelo Fonacate e Fonasefe

O “Dia Nacional de Luta e Mobilização”, realizado nesta terça (12), contou com a participação de mais de 450 servidores federais presentes na live promovida pelo Fórum Nacional de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) e Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). O diretor de Assuntos Parlamentares, Auditor-Fiscal Floriano de Sá Neto, participou de forma presencial, na sede do Fonacate, representando o Sindifisco Nacional.  

A transmissão foi realizada na sede do Fonacate com presença de diversos dirigentes sindicais. O mediador foi o presidente da entidade, Rudinei Marques. “Hoje é um dia muito importante para o serviço público federal. Começamos a negociação para o reajuste federal há seis meses, o governo sequer sinalizou a apresentação de uma proposta. E hoje é um dia de chamamento, de alerta, de conclamação a todos os servidores ativos, aposentados, pensionistas, de todos os cantos do país”, declarou.  

Na ocasião, Rudinei enfatizou a importância da greve dos Auditores-Fiscais da Receita e relatou o desgaste com o Executivo na luta por um acordo firmado em 2016. “Queria externar toda a solidariedade do Fonacate com relação à importante mobilização que vocês vêm fazendo, com um acordo protelado há muito tempo.” 

O diretor Floriano deu um panorama geral dos motivos que levaram os Auditores à greve, que já dura 23 dias, e da insatisfação da categoria com o governo por não cumprir com o acordo feito há sete anos. Além disso, alertou para a necessidade de ter uma resposta do Executivo na próxima reunião da Mesa Nacional de Negociação Permanente (MNNP), marcada 18 de dezembro, com relação ao reajuste geral dos servidores públicos do Executivo federal. “É necessário que o governo faça o seu esforço, da mesma forma que tem feito para a aprovação de leis que sustentem a política econômica. Uma política econômica sustentável só se faz com servidores públicos que estejam motivados”, explicou. (veja vídeo

Rudinei lembrou ainda que, não tendo resposta efetiva na próxima reunião da Mesa de Negociação, as categorias vão intensificar ainda mais a mobilização a partir de janeiro. “Vamos começar 2024 com uma mobilização que vai se intensificar ao longo do ano, até que tenhamos uma proposta concreta, respeitosa e que recomponha minimamente as perdas acumuladas dos últimos seis anos do funcionalismo público federal.” 

Na próxima segunda-feira (18), haverá reunião da Mesa de Negociação convocada pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) para debater a pauta econômica, a partir das 14h30.  

Conteúdos Relacionados