Coordenador da campanha de Serra debate estudo com Sindifisco

Após a reunião com o candidato a vice-presidente pelo PV, Guilherme Leal, os representantes do Sindifisco Nacional se encontraram nessa terça-feira (14/9) com o coordenador da campanha do candidato José Serra (PSDB), Xico Graziano, no comitê central de campanha, em São Paulo. Ao tomar conhecimento do documento, elogiou a consistência do estudo apresentado e disse que iria encaminhá-lo para avaliação da equipe econômica da campanha, para obter colaborações para as propostas do candidato tucano nessa área.   

Também foram debatidos os recentes episódios de quebra de sigilo fiscal na RFB (Receita Federal do Brasil), em que foram acessados dados de contribuintes, na agência da Receita em Mauá (SP).  A postura dos representantes do Sindicato foi de defender uma minuciosa e profunda investigação, com punição dos culpados, e de rechaçar a existência de qualquer tipo de aparelhamento do órgão. Defenderam ainda que o sigilo fiscal não pode ser violado impunemente, em prejuízo dos cidadãos. “Reconhecemos que há falhas e temos de trabalhar para fechá-las de modo a garantir essa segurança ao contribuinte”, afirmou Pedro Delarue, presidente do Sindifisco.

Os representantes do Sindicato, ao ressaltar o caráter técnico da RFB, reforçaram para o coordenador Xico Graziano a necessidade de que a Receita seja vista como um órgão de Estado, livre de ingerências políticas e com mandato fixo para seus dirigentes. Graziano se mostrou receptivo às ideias, defendendo também o fortalecimento da RFB como órgão de Estado, a fim de distanciá-la das interferências políticas.

Acerca da desoneração sobre o consumo, o coordenador da campanha de José Serra afirmou se tratar de um primeiro passo rumo a uma mudança no sistema tributário, mas reforçou que iria levar a proposta aos responsáveis pela área econômica da campanha peessedebista e, caso haja dúvida sobre pontos do estudo ou necessidade de aprofundar o debate, disse que entraria em contato com o Sindicato.  

Xico Graziano afirmou ainda que dará publicidade aos pontos discutidos durante a reunião no site do PSDB.

Os representantes do Sindifisco também realçaram ao coordenador a necessidade de um amplo debate com a população brasileira, em que seja mostrado que quem paga a conta – o cidadão – nunca é chamado a dizer o que pensa. Na avaliação do Sindicato, a campanha eleitoral não tem sido usada para discutir com a sociedade a questão tributária do país. O fato é que, passado o período eleitoral, independentemente de quem seja eleito, o governo poderá fazer uma reforma tributária. Resta saber se quem pagará a conta será chamado para esse debate.

Além dos dois vice-presidentes do Sindifisco Nacional, Lupércio Montenegro e Sérgio Aurélio Velozo Diniz, estiveram presentes nos encontros desta terça-feira o presidente da DS (Delegacia Sindical) São Paulo, Rubens Nakano, e o diretor de Assuntos Parlamentares e Relações Intersindicais da Delegacia, Luiz Fuchs.

Encontros – Na segunda-feira (13/9), os sindicalistas se encontraram em São Paulo com o candidato à presidência pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, para entregar o estudo e, nesta quarta-feira (15/9), deverão se reunir com o coordenador da campanha eleitoral da candidata Dilma Rousseff (PT), Antônio Palocci, em Brasília.

Conteúdos Relacionados