RFB anuncia arrecadação de junho

A arrecadação de impostos e contribuições federais, além das “demais receitas” (concessões e royalties, entre outros), totalizou R$ 54 bilhões em junho deste ano, o que representa uma queda real (com valores corrigidos pelo IPCA) de 7,51% frente ao mesmo mês do ano passado (2008), informou hoje (16/7) a Secretaria da RFB (Receita Federal do Brasil).

Esse foi o oitavo mês consecutivo de recuo da arrecadação federal, além de ter sido maior que o registrado em maio deste ano. No caso das receitas administradas (somente impostos e contribuições federais, sem contar royalties e concessões), o volume somou R$ 52,86 bilhões em junho, o que representa uma queda de 7,38% frente ao mesmo mês de 2008.

Ainda de acordo com a RFB, essa é a segunda maior queda nas receitas administradas desde o agravamento da crise, em setembro do ano passado. O maior recuo foi registrado em fevereiro deste ano, quando a arrecadação caiu 11,13% frente a fevereiro de 2008.

No mês passado, na comparação com junho de 2008, caiu a arrecadação do Imposto de Importação, por conta também da queda do dólar, além do IPI-Bebidas, do IPI-Automóveis (cuja alíquota foi reduzida pelo governo no início deste ano), do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (-15,5%) e das empresas (-1,8%).

No acumulado do primeiro semestre deste ano, informou a Receita, a arrecadação somou R$ 321,3 bilhões, o que significa uma queda real de 7,02% frente ao mesmo período do ano passado. A lucratividade das empresas recuou 29,5%, enquanto a produção industrial caiu 13,9%; as importações caíram 30,6% em dólar.

Memória – A Receita lembrou ainda que, no período avaliado, a CPMF já estava extinta (pois a prorrogação não passou no Congresso Nacional) e houve reduções da alíquota do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) e da CIDE para gasolina e diesel.

 

Conteúdos Relacionados