Minas Gerais é palco de Oficina de Justiça Fiscal e Progressividade da Tributação

Vinte e quatro sindicalistas participaram da quarta Oficina de Justiça Fiscal e Progressividade da Tributação promovida em parceria pelo Sindifisco Nacional, Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) e IPEA  (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), no dia 2 de gosto, em Minas Gerais. O segundo vice-presidente do Sindifisco Sérgio Aurélio Velozo Diniz, participou do debate.

Sérgio Aurélio salientou o caráter regressivo da tributação brasileira. “O governo não vacila em conceder desonerações aos empresários, mas nada faz para reduzir a tributação indireta embutida no consumo dos trabalhadores. Desonera em R$ 2 bilhões a folha de pagamentos mas não suspende o fator previdenciário que soma R$ 1 bilhão por ano”, argumentou.

A Justiça Fiscal e a Progressividade da Tributação são bandeiras históricas do Sindifisco. Para a DEN (Diretoria Executiva Nacional), os temas são pilares para a construção de uma sociedade mais justa. Portanto, as oficinas são formas de provocar o debate e difundir a importância de uma tributação justa.

Após a realização de cada oficina a equipe técnica se reúne para uma avaliação e, se necessário, para alterações na metodologia visando a uma maior produtividade e eficiência da reunião. Assim aconteceu após os encontros realizados em Recife, Curitiba e Goiânia.

A próxima oficina está prevista para a cidade do Rio de Janeiro, no dia 7 de agosto.

Conteúdos Relacionados