Luiz Carlos Alves, Auditor, poeta e letrista

“Expressar em versos a minha busca por um sentido afirmativo para a vida”. Foi com esse propósito que o Auditor-Fiscal aposentado Luiz Carlos Alves começou a escrever poesias ainda na adolescência. A morte da mãe dele, depois de uma luta de dez anos contra a depressão, deu início a essa busca. O livro de poesias “Fotossíntese do amor” reúne todas as poesias e está na sua segunda edição. A veia artística do Auditor também se traduz em sambas enredo para sua escola de samba do coração, Salgueiro. Aos 63 anos, aposentado há dois anos, Luiz Carlos tem encontrado mais tempo para essa paixão que é escrever.

“LIÇÕES DE VIDA DE UMA MÃE MARIA”

Sofra com o mundo inteiro
Sofra sem pavor
Sofra de corpo inteiro
Sofra com destemor

Ame o mundo inteiro
Ame sem favor
Ame do corpo inteiro
Ame por amor

Sorria com o mundo inteiro
Sorria sem rancor
Sorria de corpo inteiro.
Sorria como a flor!

“ANTONIO – UM SIMPLES PAI”

Eu não sou “Papai Noel”
Mas tenho muito amor
Para lhe dar.

Eu não sou “Papai sabe tudo”
Mas tenho muito amor
Para lhe ensinar.

Eu não sou “Papai do céu”
Mas o criei, também,
Com muito amor, Meu filho!

“FRUTO DO AMOR”

Em 03/05/1958
Chegava ao mundo
Um menino bochechudo:
Luiz Carlos Alves
Filho dos filhos dos filhos…
– Filho Mãe Natureza e de suas Forças Ancestrais!
Chegava através dos tempos Era fruto do amor
Do “Pai” dos pais dos pais…
– De Antonio e Maria!

“PERDAS”

No fim
Dos meus tempos de criança,
Perdi meu pai
No fim
Dos meus tempos de adolescente,
Perdi minha mãe
No fim da minha juventude,
Perdi minhas doces ilusões!

“CAUSA MORTIS”

Meus pais morreram
Por insuficiência cardíaca:
Pouco coração
Pra muito amor!
Pouco coração
Pra muita dor!

“VIDA PÓS – MORTE”

O ser humano nasce,
Cresce, se reproduz
E morre (pra ele mesmo),  
Mas continua vivo  
Na memória e no coração
Das pessoas que o amam

“CARTA DE ANIVERSÁRIO A MIM MESMO”

Luiz Carlos Alves
Você não está fazendo
Dezoito anos, mas sim,
Mil e um de sofrimento e introversão
Que o levam à verdadeira sabedoria.
Continue assim:
Se aperfeiçoando,
Buscando,
No âmago do seu ser,
A verdade.
Pois esta se encontra
Em nossa alma!

“FOTOSSÍNTESE DO AMOR”

Assim como o vegetal
Na presença da luz solar
Utiliza o gás carbônico
Para produzir oxigênio.
O ser humano

Em face de uma luz divina
Absorve a dor
E doa o amor!

“A ORIGEM DA VIDA”

Para a ciência,
Uma explosão cósmica.
Para as religiões,
Deus.
Para mim,
Uma explosão divina.
Pois eu te amo,
Vida!

“A TERRA E O POVO NORDESTINO”

A terra é seca,
Falta chuva.
O povo é seco,
Falta pão.
A terra, com pouca chuva,
Não dá bons frutos.
O povo, mesmo com pouco pão,
Dá bons frutos.
Pois como disse Cristo:
Nem só de pão vive o homem.
E são dessas divinas palavras
Que este povo se alimenta espiritualmente
E extrai forças para, apesar de tudo e de todos,
Levar uma vida dura, mas com dignidade,
Pois para esta gente forte, sofrida,
A lei da eternidade
Está acima
Da lei da sobrevivência.

“COMPARTILHAR”

Minha vinda
Minha ida
Meu momento
Minha vida


Meu olhar
Minha dor
Meu sorriso
Meu amor

Meu beijo
Minha paixão
Meu jeito
Meu coração ❤

“MULHERES E ESTRELAS”

As mulheres
São como as estrelas:
Todas têm luz e calor
Mas apenas uma
Nos aquece e nos ilumina.

“ESTRELA GUIA”

Quando a primeira vez
Em que eu a vi
Minha alma, enfim,
Sorriu.
Ela que há muito vagava
Pelas sombras gélidas da vida
Naquele breve, mas profundo instante,
Se sentiu aquecida e iluminada
Pelos raios de luz
Vindos da tua alma
E que teus sorridentes olhos
Irradiavam.
Foi um sentimento de amor
De alma para alma
E desde este instante
Mesmo distante
Você tem sido
Dia a dia
Minha estrela guia!
Quando a primeira vez
Em que eu a vi
Minha alma, enfim,
Sorriu.
Ela que há muito vagava
Pelas sombras gélidas da vida
Naquele breve, mas profundo instante,
Se sentiu aquecida e iluminada
Pelos raios de luz
Vindos da tua alma
E que teus sorridentes olhos
Irradiavam.
Foi um sentimento de amor
De alma para alma
E desde este instante
Mesma distante
Você tem sido
Dia a dia
Minha estrela guia!

“MUSAS”

Pina, musa menina
Que me fez imaginar,
Sonhar adolescentemente
Com um utópico amor!
Mas nem só de sonhos
Vive o homem…
Me dizia Mirela,
Musa mulher,
Que me fez sentir
Da cabeça aos pés
Carnalizando minha alma
Todo o meu amor!

“LINDA MENINA”

Que me envolve
E me alucina
Com seus beijos
E seus abraços
Despertando o meu orgasmo
Até o amanhecer
Só tenho a lhe dizer
Muito obrigado
Por você ter me proporcionado
Momentos de alegria e de prazer
Vamos nos amar
Pela vida afora
Todo dia, toda hora
Nosso amor não terá fim!