DS realiza assembleia para tratar de segurança de Auditor-Fiscal

Na manhã da última segunda-feira (28/9), a DS (Delegacia Sindical) Londrina (PR) realizou uma assembleia extraordinária para tratar da segurança do Auditor-Fiscal José Carlos de Souza, que é lotado na EFA (Equipe de Fiscalização Aduaneira) e que, nos últimos tempos, tem sido alvo de ameaças. Há indícios de que essas intimidações, que têm como alvo seus familiares, estariam relacionadas com as ações fiscais desenvolvidas pelo Auditor junto ao segmento de comércio virtual na cidade.

Durante a assembleia, que contou com a participação de José Carlos, ele foi questionado sobre quais providências  gostaria que a DS tomasse em prol de sua segurança. Ele optou pela contratação de segurança pessoal para sua filha, que, por reiteradas vezes, foi vítima de ações violentas que teriam como objetivo atingir seu pai. 

Em fevereiro, no caminho da escola, ela foi roubada por uma dupla de motoqueiros. De início, o Auditor não imaginou que o incidente pudesse ter alguma ligação com sua atividade profissional. Depois, aconteceu uma simulação de roubo – desta vez, por um único homem. Ele teria dito à garota que avisasse ao pai que não “mexesse com eles”. No dia 10 de setembro, houve outro roubo. Nessa última ocasião, foi citado o nome do Auditor e da RFB (Receita Federal do Brasil).

Providências – Os custos com a segurança pessoal serão divididos entre a DS e a DEN (Diretoria Executiva Nacional) do Sindifisco Nacional, que está acompanhando o processo que foi instaurado pela PF (Polícia Federal) para investigar o caso. Além do suporte na segurança, a DEN também se colocou à disposição do Auditor ameaçado para tratar do caso junto às instâncias superiores.

Ainda no dia 28 como desdobramento da assembleia, o presidente da DS/Londrina, Dalcrouze Luiz Canezin, o delegado da RFB em Londrina, Auditor-Fiscal Sérgio Gomes Nunes, e o diretor de Aposentadoria e Pensão da DS, Jesus Luiz Brandão, que também é diretor-adjunto do Plano de Saúde do Sindifisco Nacional, estiveram no MPF (Ministério Público Federal) para pedir agilidade na investigação do caso.

Dias antes, em 18 de setembro, Dalcrouze Luiz Canezin, acompanhado do vice-presidente e diretor de Políticas Sociais da DEN, José Devanir de Oliveira, do diretor Jesus Luiz Brandão e do diretor-adjunto de Defesa Profissional da DEN, Dagoberto da Silva Lemos, estiveram reunidos com o delegado da RFB, Sérgio Gomes Nunes, para saber que medidas estavam sendo adotadas pela Administração em defesa do colega.

O Sindifisco Nacional está acompanhando todos os trâmites da investigação da Polícia Federal e, além de tomar as medidas urgentes para garantir a segurança do Auditor e de sua família, continuará cobrando da Receita as providências necessárias que garantam a segurança profissional neste caso específico e em qualquer outro que possa por em risco a vida de um Auditor. 
 

Conteúdos Relacionados