Auditor-Fiscal toma posse como secretário de Fazenda do DF

O Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Valdir Moysés Simão é o novo secretário de Fazenda do Distrito Federal. Oficialmente, ele tomou posse nesta quinta-feira (10/2), em solenidade no Palácio do Buriti, sede do governo distrital, mas já estava no comando da pasta há 40 dias. Sua vasta experiência em gestão no setor público foi decisiva para que o governador Agnelo Queiroz o escolhesse para ocupar a secretaria.  Autoridades distritais e federais participaram da cerimônia. Pelo Sindifisco Nacional, participaram do evento a diretora de Defesa da Justiça Fiscal  e Seguridade Social, Maria Amália  Polotto, e a diretora-adjunta de Assunto de Aposentadoria e Pensões, Bernadete Donadon.

Em seu discurso de posse, Valdir Simão falou sobre o trabalho que já está em andamento na secretaria e sobre as práticas que serão implementadas na área da Fazenda. Segundo ele, as mudanças farão com que a sociedade e os agentes públicos possam fazer do mandato de Agnelo Queiroz um grande governo.

“A nossa missão principal é fazer com que os tributos cheguem corretamente aos cofres do governo. Vamos ter uma política tributária com estímulo ao crescimento espontâneo da arrecadação e seremos implacáveis com os sonegadores. Não podemos permitir esse tipo de situação, que é nociva não só para o governo, mas é prejudicial também para o próprio ambiente de negócios”, afirmou.

As estratégias para colocar essa missão em prática já foram traçadas. Entre elas, o secretário destacou que haverá um trabalho de conscientização para que a sociedade entenda a importância dos tributos. Também reforçou que a percepção de risco será constante em sua gestão. Outra decisão é que todos os cargos comissionados serão ocupados por servidores de carreira. “São eles que conhecem o funcionamento da máquina, e um dos nossos focos é melhorar os serviços, incluindo o atendimento aos contribuintes”, assegurou.

O governador Agnelo Queiroz ressaltou que a experiência de sucesso de Valdir Simão o coloca em condição especial para ocupar o cargo. “A situação em que encontramos o Distrito Federal é dramática. Com o novo secretário, teremos uma gestão voltada para a justiça fiscal, tendo em vista o desenvolvimento da cidade para que possamos ter independência econômica”, disse o governador.

No entendimento da diretora-adjunta de Assuntos de Aposentadoria e Pensões, Bernadete Donadon, a escolha do nome do novo secretário para pasta é motivo de orgulho para toda Classe. “Tê-lo como secretário de Fazenda valoriza a Classe de Auditor-Fiscal”, afirmou a Auditora.

No mesmo sentido, a diretora de Defesa da Justiça Fiscal e Seguridade Social, Maria Amália Polotto, também ressalta o reconhecimento do trabalho de um colega da carreira que passa a ocupar um cargo estratégico e importante dentro da estrutura do GDF (Governo do Distrito Federal). “Esse convite é resultado dos excelentes trabalhos prestados por ele como Auditor-Fiscal em várias áreas da administração”, ressaltou.

Perfil – Valdir Simão é Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil há 24 anos. Sempre atuou como instrutor nos cursos de formação de Auditores-Fiscais e como colaborador em projetos de inovação e modernização nas áreas de arrecadação, fiscalização e cobrança de tributos. Tem vasta experiência em gestão do setor público. Foi superintendente do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) no estado de São Paulo de março a julho de 2000 e diretor da Receita Previdenciária de agosto de 2000 a março de 2003.

Em agosto de 2005, assumiu a presidência do INSS, a convite do então ministro Nelson Machado, época em que implantou a Central 135 e o Sistema de Atendimento Agendado para acabar com as filas nas agências. Com a fusão das Secretarias da Receita Federal e da Receita Previdenciária, em abril de 2007, assumiu o cargo de secretário-adjunto da Receita Federal do Brasil, onde permaneceu até agosto de 2008, quando foi convidado para ser assessor do ex-ministro da Previdência Social José Pimentel.

Em dezembro de 2008, reassumiu a presidência do INSS, onde ficou até o fim do governo Lula. Nesses últimos dois anos, teve a oportunidade de consolidar a nova imagem institucional da Autarquia Previdenciária, com a implantação da “aposentadoria em trinta minutos”, a expansão da rede de atendimento e a introdução de um modelo de gestão participativo e baseado na contratualização de resultados em todos os níveis organizacionais. 

Conteúdos Relacionados