Auditores do Galeão intensificam operação-padrão nesta semana

Os Auditores-Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil) lotados no Aeroporto Internacional do Galeão, Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro (RJ), se reuniram na manhã de segunda-feira (13/8) para fazer um balanço do movimento e organizar as atividades para esta semana, tendo em vista a possibilidade da retomada da negociação com o Governo, como anunciou o secretário de relações do trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça.

Durante o encontro, que teve a presença do presidente do Sindifisco Nacional, Pedro Delarue, e da DS (Delegacia Sindical) local, os Auditores decidiram acirrar o movimento de mobilização intensificando a operação-padrão no terminal de cargas e de passageiros durante esta semana. 

Delarue reforçou a importância do engajamento e da disposição dos Auditores cariocas para a intensificação do movimento, uma vez que existe a possibilidade de o Governo não apresentar uma proposta que atenda às demandas da classe.

“O Governo, em vez de sentar para negociar, busca desvalorizar o setor público diante da sociedade. Isso tem causado grande indignação na Classe”, disse Delarue, depois de lembrar que há quatro anos os Auditores-Fiscais da RFB não recebem nem reposição inflacionária. “Foi o Governo que empurrou a categoria para a mobilização”, acrescentou.

O presidente do Sindicato fez ainda um resumo do movimento em localidades significativas, como Manaus (AM), Santos (SP) e Paranaguá (PR). Criticou as diferenças remuneratórias entre o fisco federal e a maioria dos fiscos estaduais e falou sobre as ações do Sindicato no sentido de reverter as determinações do Decreto 7.777/12, com representações judiciais e denúncia contra a medida em organizações internacionais como a OIT (Organização Internacional do Trabalho) e a OMA (Organização Mundial das Aduanas). “Também vamos entrar com uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) contra o Decreto”, completou Delarue.

Representantes da DS (Delegacia Sindical) Rio de Janeiro, que convocou a reunião, e representantes do CRM (Comando Regional de Mobilização) da 7ª RF (Região Fiscal) passaram informações sobre as decisões do CDS (Conselho de Delegados Sindicais), realizado em Brasília (DF), de 7 a 10 de agosto, e reforçaram a necessidade de intensificação da operação crédito zero na zona secundária.

O presidente da DS, João Abreu, ressaltou que nas últimas semanas o movimento nas unidades da RFB da região vem ganhando força. Ele fez relato sobre o andamento da operação-padrão na zona primária e falou da repercussão do movimento dos Auditores cariocas na imprensa local.

“A reunião do CDS produziu algumas decisões relevantes para a continuidade do movimento. As carreiras do serviço público devem se manifestar de forma mais contundente e mais participativa de modo a aumentar a pressão contra o Governo para o atendimento das demandas”, disse o Auditor-Fiscal Olavo Porfílio, que também representou a DS, na reunião do Conselho.

A reunião contou ainda com a participação de Auditores-Fiscais do Porto do Rio, do inspetor-chefe da Alfândega do Aeroporto Internacional do Galeão, Auditor-Fiscal Cláudio Ribeiro Rodrigues, e de representante da DS/Santos (SP).

O presidente da DS paulista, Elias Carneiro Júnior, fez um resumo do movimento em Santos – onde está localizado o maior porto da América Latina. Elias falou dos efeitos da operação-padrão no trânsito aduaneiro e no despacho de mercadorias e garantiu que, em Santos, “o movimento está muito forte”.

Conteúdos Relacionados