Entidades ratificam posição contrária ao PL 1992 para o líder do governo

Representantes do Sindifisco Nacional, da Anfip (Associação Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil) e do Sinait (Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho) se reuniram na manhã de quarta-feira (15/2) com o líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT/SP),  para ratificar o posicionamento das entidades contrário ao PL (Projeto de Lei) 1992/07. O Projeto propõe a criação de uma Previdência Complementar para os servidores públicos. 

O presidente do Sindifisco Nacional, Pedro Delarue, apresentou ao líder do governo alguns dos argumentos que justificam a posição das entidades pela derrubada do PL, como questões relativas à necessidade de se manter a natureza pública do instituto que vai gerir o fundo de pensão. Reforçou que no texto do projeto existem inúmeras inconsistências e pontos específicos suscetíveis à inconstitucionalidade. O sindicalista afirmou ainda que a proposta fragiliza o serviço público e desestimula o ingresso de profissionais qualificados. “Não vai ter mais ninguém querendo ingressar no serviço público”, endossou. 

O deputado expôs a visão do governo sobre o projeto e disse que a posição, desde o início da gestão do presidente Lula, é pela implementação da Previdência Complementar do servidor público. Vaccarezza alegou que  proposta não atinge os atuais servidores e que o governo está  pensando nas aposentadorias futuras. “A proposta não é reduzir o gasto desse governo ou do próximo governo. Estamos pensando nos próximos 30 anos”, ressaltou.

Os representantes das entidades reafirmaram a discordância com as argumentações do parlamentar. No entanto, Cândido Vaccarezza acrescentou que o governo está irredutível no sentido de que o projeto seja votado no próximo dia 28 de fevereiro, logo após o carnaval. O deputado pontuou, porém, que o governo está aberto para discutir possíveis modificações. 

A reunião contou com a presença do presidente da DS (Delegacia Sindical) São Paulo, Rubens Nakano, e de oito Auditores-Fiscais, que vieram da capital paulista especialmente para o encontro. Também participaram o diretor de Assuntos Parlamentares do Sindifisco Nacional, João Santos, os presidentes da Anfip, Álvaro Sólon de França, e do Sinait, Rosângela Rassy. 

Conteúdos Relacionados