Dia Nacional de Luta dos servidores federais ocorre na próxima quarta (3)

O Sindifisco Nacional estará presente, juntamente com as entidades que integram o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), no ato de manifestação do Dia Nacional de Luta em prol do reajuste do vencimento básico ainda em 2024. Representando os servidores públicos federais ativos e aposentados, as entidades se concentrarão em frente ao prédio do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), em Brasília, no dia 3 de abril (quarta-feira), às 10h.  

Desde a última reunião com o MGI, realizada em 28 de fevereiro, o secretário de Relações de Trabalho, José Lopez Feijóo, não apresentou nova proposta e manteve a que prevê a recomposição de 9% entre 2025 e 2026 e reajuste zero este ano. Feijóo ainda informou que qualquer outra proposta depende do aumento na arrecadação.   

De acordo com o diretor de Assuntos de Aposentadorias e Pensões do Sindifisco, Auditor-Fiscal Roberto Kasai, essa é uma data importante, pois há perspectiva que o MGI conceda um reajuste em 2024 para os servidores públicos, uma vez que a arrecadação tributária federal vem aumentando. “O reajuste zero proposto pelo governo é inadmissível. Nós, aposentados, passamos por dificuldades, estamos no bônus escadinha e a nossa remuneração é menor do que a dos colegas ativos. Um reajuste do vencimento básico proporcionaria uma melhora em nossa remuneração. Conclamo todos os aposentados a estar presentes para se manifestar contra esse absurdo”, disse.  

Os servidores públicos federais defendem fortemente as negociações com o governo federal em torno da contraproposta entregue em janeiro ao secretário José Lopez Feijóo, referente à recomposição remuneratória, com reajuste para aqueles que firmaram acordo por quatro anos (2016 e 2019): uma correção de 22,71% dividida em três parcelas iguais de 7,06% em 2024, 2025 e 2026, que é o caso dos Auditores-Fiscais.  

A equiparação dos benefícios (alimentação, creche e saúde) com os demais poderes e a retirada da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, com compromisso de negociação prévia de todos os itens referentes à Reforma Administrativa, também constam no documento entregue. 

Calendário de mobilização 

Conforme definido pelo Fonasefe, em 16 de abril, às 16h, as reivindicações serão debatidas no Congresso Nacional em audiência pública, requerida pela Deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP). No dia seguinte (17), os servidores do país inteiro se encontrarão em Brasília para uma grande marcha pela recomposição salarial. No dia 18, cada categoria realizará atividades específicas de mobilização.

Conteúdos Relacionados