Sindifisco e CUT discutem andamento de negociações

O presidente e o vice do Sindifisco Nacional, Pedro Delarue e Lupércio Montenegro, reuniram-se nesta quarta-feira (2/2) com o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) Nacional, Artur Henrique da Silva, para discutir o andamento das negociações em favor da correção da tabela do IR (Imposto de Renda). Os sindicalistas trocaram impressões sobre o debate e a receptividade do governo sobre o assunto.

Durante a reunião, Delarue reafirmou a disposição do Sindicato em auxiliar as centrais sindicais com o conhecimento técnico dos Auditores-Fiscais sobre o assunto. De acordo com Artur Henrique, a correção da tabela é uma das prioridades da CUT nas discussões em andamento com o governo. “Nossa base tem uma demanda muito forte com relação à tabela do IR”, afirmou, lembrando que os debates também estão tratando do reajuste do salário mínimo e da aposentadoria dos beneficiários que recebem mais de um salário mínimo.

O presidente da central também aproveitou o encontro para formalizar o convite de participação do Sindifisco Nacional em um seminário da CUT sobre reforma tributária, marcado para os dias 21 e 22 de março. Artur lembrou o estudo produzido pelo Sindicato sobre o tema e disse que o material deve ser incorporado a ideias que serão apresentadas durante o evento.

Sobre o assunto, Delarue destacou que discutiu o tema com o secretário da RFB (Receita Federal do Brasil), Carlos Alberto Barreto, em reunião recente e ressaltou que uma das preocupações do Sindifisco é o debate sobre a desoneração da folha salarial. Lupércio Montenegro alertou também sobre o perigo que o assunto pode trazer às contas da Previdência.

Ambos os dirigentes do Sindifisco Nacional ressaltaram a disponibilidade da Diretoria de Estudos Técnicos da entidade para auxiliar as centrais nas discussões relacionadas a temas tributários e lembraram o empenho dos Auditores-Fiscais na luta por justiça fiscal.

Vale lembrar que a inclusão do reajuste da tabela do IR na pauta de discussões deste início do ano foi fortemente impulsionada pelo esforço do Sindifisco Nacional em demonstrar os prejuízos causados sem a correção, principalmente, para a população de baixa renda. O estudo produzido sobre o assunto pelo Sindicato foi amplamente repercutido pela mídia e incorporado aos debates com o governo.

Histórico – As centrais participaram da primeira conversa com o governo federal sobre o reajuste da tabela de IR na semana passada. Na saída do encontro, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, afirmou que o governo trabalha com a possibilidade de correção da tabela em 4,5%. Ainda não há acordo. Segundo estudo do Sindifisco, a defasagem da tabela pode ultrapassar 70% este ano, caso não haja revisão nos valores das faixas. Uma próxima reunião deve ser realizada nesta sexta-feira (4/2).

Conteúdos Relacionados