Classe deve manter 30% trabalhando no Dia de Protesto Fora da Repartição

Muitos Auditores-Fiscais estão com dúvidas em relação a como proceder no Dia de Paralisação Fora da Repartição, marcado para esta quarta-feira (8/8), sem desrespeitar a Lei de Greve. 

A DEN (Diretoria Executiva Nacional) esclarece que a manifestação já foi comunicada formalmente ao secretário da RFB (Receita Federal do Brasil), Auditor-Fiscal Carlos Alberto Barreto, e à sociedade por meio de nota publicada em jornal de circulação nacional.
Dessa forma, cabe aos Auditores manter 30% da Classe nas unidades da zona secundária. Nesta conta, devem ser considerados Auditores filiados ou não e os ocupantes de cargos de chefia, incluindo delegados e delegados-adjuntos.
Vale lembrar que os Auditores em férias não contam para o cálculo. Logo, se em uma unidade houver 13 Auditores e três estiverem de férias, os 30% serão calculados sobre os dez restantes.
É preciso reforçar também que na zona primária será mantida a operação-padrão, portanto, todos os Auditores deverão estar na sua unidade e não há de se pensar em mínimos.
Respeitada a exigência dos 30% na zona secundária, os Auditores devem se unir aos integrantes de outras carreiras típicas de Estado e manifestar através de atos públicos em seus estados a indignação de todos em função da recusa do Governo em negociar e exigir o devido reconhecimento das carreiras.
Conteúdos Relacionados