Boletim do Comando Nacional de Mobilização – Nº 35

O Comando Nacional de Mobilização enxerga com preocupação o fato de que até o momento não houve, por parte do governo federal, nenhum movimento para atender às reivindicações dos Auditores-Fiscais em relação ao bônus de eficiência, em particular a inclusão no PLOA 2024 do valor integral previsto na Portaria MF nº 727/2023. Não é demais lembrar que o valor atualmente incluso no PLOA em tramitação é suficiente apenas para manter o bônus de eficiência no valor atual, isso se todas as metas institucionais forem cumpridas.

Apesar da frustração recorrente com a arrecadação federal, o governo parece não se atentar para o fato de que o cumprimento do acordo firmado com os Auditores Fiscais é medida que poderia ser utilizada para alavancar a arrecadação a um custo (econômico e político) baixo.

O CNM destaca que foi aprovada greve por tempo indeterminado a partir do dia 20 de novembro e que continuam em vigor as diretrizes do Caderno de Mobilização e aprovadas em Assembleia Nacional, em especial os dias de apagão na zona secundária e operação-padrão na zona primária, que no mês de novembro passam a ser realizados de quarta a sexta-feira.

Nesse contexto, o CNM exorta os Auditores-Fiscais a participarem dos atos públicos que serão anunciados em breve, bem como a efetivarem os preparativos para o início da greve em suas unidades e processos de trabalho.

Conteúdos Relacionados