Boletim do Comando Nacional de Mobilização – Nº 35

O Comando Nacional de Mobilização (CNM) recebeu com perplexidade a declaração do Auditor-Fiscal Juliano Neves, atualmente lotado na Subsecretaria de Gestão Corporativa (Sucor), sobre as consequências que poderiam advir de nossa greve marcada para iniciar no dia 20 de novembro. 

Segundo relatos dos colegas da DS/Recife, a Sucor teria dito que uma greve dos Auditores no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (Carf) poderia levar à substituição de nossos colegas no Conselho por Procuradores da Fazenda. 

É relevante destacar, inicialmente, a inviabilidade de concretização da referida ameaça, que chega a ser pueril, tendo em vista que os Procuradores da Fazenda Nacional já ocupam, no funcionamento do Carf, posição incompatível com a função de julgador, já que são advogados de uma das partes do processo. 

Não obstante reconhecer a infantilidade da tentativa de intimidação, a abordagem do tema pelo CNM revela-se importante para refletirmos sobre sua origem. 

Seria a fala da Sucor uma ideia estapafúrdia de quem nunca realizou julgamentos de processos, ou teria o gestor trazido um recado de um superior hierárquico? 

Independentemente da origem, o Comando conclama os Auditores a reagirem de forma dura, transformando essa tentativa de intimidação em combustível para inflamar ainda mais a revolta e irresignação da categoria diante do tratamento desrespeitoso que vem sofrendo nos últimos anos, especialmente de seus pares, que ao que parece, estão mais preocupados com seus cargos em comissão, Jetons e adidâncias.  

Preparemo-nos para uma GREVE forte, colegas. 

Conteúdos Relacionados