Auditores esperam que Administração dialogue sobre regras de remoção

Com diálogo efetivo. É assim que a DEN (Diretoria Executiva Nacional) espera que seja conduzida a proposta de mudança nos pesos dos concursos de remoção. Por esse motivo, o presidente do Sindifisco Nacional entrou em contato, por telefone, com o titular da Cogep (Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas), Auditor-Fiscal Érico Pozenato, na tarde de sexta-feira (10/8), e conversou sobre a necessidade de que as alterações sejam realizadas de forma a não frustrar as expectativas e o planejamento dos Auditores-Fiscais.

De acordo com Pozenato, a Administração está aberta a sugestões e vai levar em consideração as propostas apresentadas pelo Sindifisco Nacional. O titular da Cogep informou ainda que os pesos devem ser alterados em função de uma adequação nos parâmetros que definem as localidades.

A minuta de portaria com as sugestões de mudança nos pesos foi repassada por "notes" nesta semana e, apesar de não prever alterações para o próximo concurso de remoção, causou ansiedade e preocupação entre os Auditores, o que não é difícil de entender. Muitos integrantes da carreira ao ingressar na RFB fazem planos para retornar a suas cidades de origem. Portanto, ao mudar as regras, a Administração pode frustrar a expectativa de muitos Auditores que podem não conseguir a transferência no próximo certame, mas que ficariam muito perto de cumprir os requisitos necessários para pleitear a remoção na próxima oportunidade.

A DEN ressalta que é importante que a RFB lembre que a política de recursos humanos deve ser conduzida de maneira ponderada e de forma que permita a participação da Classe, porque impacta, diretamente, na vida dos Auditores e, consequentemente, no grau de satisfação da categoria em relação ao órgão.

É nesse espírito que a DEN está coletando opiniões entre os filiados acerca da pontuação proposta para o próximo concurso de remoção. A ideia é que a partir das sugestões apresentadas pela Classe, o Sindicato e a Administração possam debater a mudança de forma que ninguém saia prejudicado. Além disso, na manhã de sexta-feira o CDS (Conselho de Delegados Sindicais) aprovou a criação de uma comissão com representantes de todas as RF (Regiões Fiscais) que vai avaliar e propor sugestões à minuta de portaria sobre o assunto.

Conteúdos Relacionados