Atos públicos mostram a insatisfação na Receita e precedem a greve por tempo indeterminado dos Auditores-Fiscais

O Comando Nacional de Mobilização (CNM), com a participação da Direção Nacional, se reuniu, nesta terça-feira (17), para detalhar as novas ações a serem realizadas, com a programação de grandes atos públicos em pontos estratégicos do país. O objetivo é de garantir a alteração do texto do Decreto 11.545 e o valor previsto na Portaria MF 727/2023 para o cumprimento integral do Plano de Aplicação do Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (Fundaf).  

Os atos definidos integram o calendário dos eventos propostos pelo CNM com a finalidade do recrudescimento gradual das ações de mobilização, como segue abaixo: 

19/10 – Alfândega do Porto do Rio de Janeiro (Av. Rodrigues Alves, 81 – Centro) 

26/10 – Alfândega de Santos 

27/10 – Manaus 

1º/11 – Foz do Iguaçu 

14/11 – Brasília (durante a realização do Conaf) 

Outras ações 

Para aumentar a adesão à mobilização, integrantes do CNM estiveram com Auditores-Fiscais de Foz do Iguaçu (PR) e Manaus (AM), na segunda-feira (16). Houve, ainda, uma reunião nesta terça (17) com a fiscalização da 8ª Região Fiscal. 

Por fim, o CNM atualizou parte do texto do Caderno de Mobilização, destacando que os Auditores não devem participar de qualquer equipe de reforço de outras unidades. A nova adequação será divulgada em breve. 

Vale lembrar que o movimento é construído por todos e sua participação é essencial para que os objetivos reivindicados sejam alcançados. 

Conteúdos Relacionados