Jornais dão destaque à Assembleia da Classe

A edição de 1º de agosto do jornal A Tribuna, de Santos (SP), repercutiu a Assembleia Nacional da Classe na cidade paulista. A publicação ressalta a participação do segundo vice-presidente da DEN (Diretoria Executiva Nacional), Sérgio Aurélio Velozo Diniz, e do advogado do Sindicato, Ricardo Dantas, na Assembleia e fala de um estudo feito pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) subseção local que aponta a inconstitucionalidade do Decreto 7.777/12.

“A Classe definirá os próximos passos a serem tomados na mobilização em busca de recuperação das perdas salariais acumuladas nos últimos quatro anos e em razão do descaso do Governo Federal em relação à pauta de reivindicação da categoria”, destaca o texto.

Segundo o jornal, de acordo com o estudo produzido pela OAB/Subseção Santos, “o decreto presidencial fere os Artigos 21 da Constituição Federal que fala sobre as competências da União e o Artigo 23, por inconstitucionalidades material e formal”.

Conforme o estudo, a medida seria legal se tivesse origem em projeto de lei complementar, aprovada por maioria absoluta dos parlamentares.

Marília – O Jornal da Manhã e o Diário de Marília também deram destaque à Assembleia Nacional dos Auditores-Fiscais da RFB (Receita Federal do Brasil) dessa quarta-feira (1º/8). As publicações lembram que a Assembleia vai deliberar sobre os rumos do movimento e trazem declarações do presidente da DS (Delegacia Sindical) local e diretor de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional, Luiz Benedito.

“O Governo está acreditando que conseguirá repetir o estratagema utilizado em 2011 e fazer com que os Auditores-Fiscais e demais servidores posterguem suas reivindicações para 2013. Logo, não há que se esperar resultados dessas reuniões previstas para o mês de agosto. Em vez de negociar, o Governo vem dando repetidas demonstrações de desrespeito. Depois de um ano e meio de tentativas frustradas de se debater a pauta reivindicatória, o Executivo lança mão de atos arbitrários e ilegais”, afirma Benedito no texto produzido pelo Diário e Marília.

Já o Jornal da Manhã dá ênfase às criticas de Luiz Benedito sobre a edição do Decreto 7.777 e da Portaria MF (Ministério da Fazenda) 260. "O Governo vem tomando medidas de força e não quer negociar. Essa atitude é lamentável. Em vez de sentar e apresentar propostas, estão editando atos que são ilegais e que visam desmobilizar a categoria", diz Luiz Antonio Benedito.

Conteúdos Relacionados