Conselho Curador aprova calendário de atividades

Reunido ontem e hoje (20/1), em Brasília, o Conselho Curador dos 28,86% definiu uma agenda de trabalho para os próximos meses. “Além da visita que faremos ao escritório Martorelli & Gouveia e ao TRF-5 (Tribunal Regional Federal da 5ª Região), vamos manter um membro do conselho em Brasília, na maioria das vezes, o colega Braz, da 1ª Região, para evitar custos com passagens”, explicou o presidente do Conselho, Shiguemassa Yamasaki.

No CDS (Conselho de Delegados Sindicais) realizado de 4 a 6 de novembro, em São Paulo, foi estabelecido que o mandato do Conselho Curador dos 28,86% seria prorrogado até a eleição do Conselho Curador de Assuntos Jurídicos do Sindifisco Nacional. Também foi definido que a DEN (Diretoria Executiva Nacional) do Sindicato viabilizaria recursos materiais e humanos para que o Conselho dos 28,86% tivesse uma atuação proativa.

Nesta semana, os membros do Conselho conheceram a sala onde ficarão instalados em Brasília. Até o começo de fevereiro, eles acompanharão as adaptações que serão feitas no local e participarão das entrevistas a serem realizadas para a escolha do estagiário de Direito que trabalhará com o Conselho.

O diretor de Assuntos Jurídicos do Sindicato, Sebastião Braz Cunha dos Reis, que participou do primeiro dia de reunião, destacou que a DEN repassou todas as informações solicitadas pelos conselheiros e que será feito o possível para que o Conselho disponha da estrutura necessária ao seu funcionamento. “Os conselheiros têm o papel de fiscalizar o andamento das ações e proteger o filiado. Faremos o que for necessário para que eles possam cumprir bem suas funções”, afirmou.

Proativo – Yamasaki ressaltou que a intenção do Conselho não é substituir a DEN, mas somar esforços, auxiliando no controle e aperfeiçoamento dos processos. Os conselheiros já decidiram que vão, com a ajuda do estagiário, examinar os processos por amostragem para averiguar se o andamento está correto. “Vamos analisar se não foram perdidos prazos, fazer uma análise e interpretação dos processos, averiguando, por exemplo, o que levou um a ter seguimento, enquanto foi negado o mesmo direito em outro”, explicou.

Na viagem que realizarão a Recife, na semana de 22 a 25 de fevereiro, os conselheiros já pretendem apresentar alguns questionamentos ao escritório Martorelli & Gouveia, com base nessa análise preliminar. “A nossa intenção é melhorar a qualidade do que já está sendo feito”, ressaltou.

Conteúdos Relacionados