O ano de 2018 começa com grande indignação para os Auditores Fiscais. Afinal, 2017 terminou com mais de um ano desde a edição da MP (Medida Provisória) 765 e dois pontos cruciais do acordo salarial continuam sem definição, apesar de a Lei 13.464 estar em vigor. São eles: a regulamentação da progressão na tabela salarial e a regulamentação do bônus de eficiência.

> O final do ano passado foi de muita ansiedade em razão de diversos comentários feitos por administradores de todo o país dando conta de que esses assuntos seriam resolvidos na semana passada. A semana passou, as regulamentações não vieram, e o máximo que a categoria viu foi um notes do Auditor-secretário da Receita Federal do Brasil desejando feliz Ano Novo, e se limitando a dizer que ainda não foi possível resolver o impasse sobre o bônus de eficiência.

A DEN (Diretoria Executiva Nacional) obteve, durante a semana passada, informações de que reuniões de Governo foram realizadas com a participação da Receita Federal. É preciso, portanto, que a Administração da Receita Federal, e o próprio Ministério da Fazenda, esclareça qual foi o resultado dessas reuniões, qual o impasse, quem está atuando contrariamente ao cumprimento do acordo, qual a perspectiva de solução. A Receita Federal está, há mais de dois anos, em letargia. O órgão encontra-se desprestigiado, desmotivado, sem qualquer compromisso com metas e/ou objetivos, justamente quando mais se precisa da Receita Federal e dos Auditores Fiscais trabalhando para tirar o país da crise econômica.

É passada a hora de a Administração da Receita Federal se preocupar não com seus cargos, mas com o futuro da Casa. É passada a hora de ser transparente, de mostrar a categoria o quê e quem está por trás dessa tentativa de desmonte do órgão.

Se alguém está pensando em vencer a mobilização dos Auditores pelo cansaço, vai um alerta: o movimento não será suspenso; ao contrário, será cada vez mais forte. Nas próximas semanas, novas ações serão discutidas e implementadas.

A DEN solicitou na data de hoje reuniões ao Auditor-secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e ao secretário executivo da Fazenda, Eduardo Guardia, com o objetivo de que os esclarecimentos sobre as regulamentações do bônus de eficiência e da progressão na tabela salarial sejam finalmente apresentados. A categoria tem o direito de obter essas explicações. E a Administração da Receita Federal e o Ministério da Fazenda têm a obrigação de resolver a questão o mais rápido possível, pois somente assim a Receita Federal voltará à normalidade.

_Área Segura